Maria Salete Barreto Leite

Presidente da Academia de 13-11-2013 até ...

Maria Salete Barreto Leite

Filha de José da Silveira Barreto e Maria Helena Santana (ambos falecidos), Maria Salete Barreto Leite nasceu no município sergipano de Estância, no dia 12 de maio de 1955 e faz parte de uma família de nove irmãos. O pai era feirante e a mãe prendas do lar. Aliás, a mãe merece uma homenagem especial por se tratar de uma mulher simples, mas de grande sabedoria, com a qual educou os nove filhos. Zelava pela educação dos filhos e sempre dizia: “Filhos, estudem. Não estarei com vocês por muito tempo e a riqueza que deixarei para todos é a educação”. E assim, com muita dificuldade, os filhos o fizeram.

A pequena Salete, com apenas nove anos, ia ajudar o pai a vender frutas e sabão - que a mãe fazia em casa. Carregava orgulhosa, uma bacia pesada, mas o que importava era que estava trabalhando e conquistando a independência, uma vez que já recebia um dinheirinho e não dependia mais de pedir aos pais.

Seus primeiros estudos foram em Estancia. Lá, Maria Salete cursou a Educação Infantil e o Ensino Fundamental (antigo Primário) no Grupo Escolar Gumercindo Bessa. Quando estava cursando a terceira série do primário, Salete aceitou o convite dos tios Zeca e Josefina e passou a estudar na capital Aracaju, no Instituto Dom Fernando. Em 1970, ainda em Aracaju, Salete foi aprovada no exame de admissão no Instituto de Educação Ruy Barbosa (Escola Normal). Nessa época, foi morar, como interna, na Casa Santa Zita. “Orgulho-me muito da educação que recebi das irmãs da ordem Santa Terezinha”, testemunha Maria Salete.

Em 1972, ela voltou para Estância e lá concluiu o Ensino Ginasial (antigo Primeiro Grau) no Ginásio Industrial de Estância. Na época, Salete estudava pela tarde e pela manhã trabalhava num salão de beleza. Nas segundas-feiras era balconista da Loja Oliveira, vendendo tecidos. No ano de 1974 começou o Ensino Médio Técnico em Contabilidade na Escola Técnica de Comércio de Estância. A escola era particular e Salete não tinha condições de manter os estudos, por isso, solicitou uma bolsa ao diretor contador Tenisson Teixeira. Ela passou a pagar 50% do valor da mensalidade.

Aos 18 anos, Salete teve o primeiro emprego de carteira assinada. Ela trabalhou como Auxiliar de Escritório na loja de móveis São Salvador. Lá executava várias funções desde vendedora até as rotinas de setor pessoal que eram feitas na empresa. “Eu já mandava os documentos para o Contador quase prontos”, orgulha-se. Em 1976, concluiu o seu curso Técnico em Contabilidade e passou em um concurso para trabalhar como secretária na empresa Consórcio Têxtil de Acabamento S/A, do Grupo Constâncio Vieira.

Já em 1978 passou no concurso para Auxiliar de Escritório no Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) e no mês de junho do mesmo ano passou em outro concurso, dessa vez na Agência de Correios e Telégrafos como operadora teleimpressor. Lá, Salete permaneceu até 1982, quando foi morar na cidade Jeremoabo, na Bahia, acompanhando o esposo que foi trabalhar como Fiscal Rural no BANEB.

Chegando em Jeremoabo, começou a ensinar Matemática no Ginásio Municipal. Após seis meses, o marido foi transferido para cidade de Euclides da Cunha, também na Bahia. Na ocasião, Salete passou a ensinar na escola particular Escolinha Pequeno Príncipe. Na mesma época, ingressou no curso de Magistério na Escola Oliveira Brito onde, concluiu em 1985. Em 1987 Salete voltou com o esposo para Aracaju e foi trabalhar como professora no Colégio Patrocínio São José. Ingressou nas Faculdades Integradas Tiradentes em 1989 para cursar Biblioteconomia, mas o sonho mesmo era o curso de Ciências Contábeis. Em 1990 passou no vestibular e passou à cursá-lo na Universidade Tiradentes.

Em 1991 fez seu registro no Conselho Regional de Contabilidade de Sergipe (CRC/SE) como Técnico em Contabilidade e, na ocasião, Salete abriu, na própria residência, um escritório, o SL Serviços Contábeis. Concluiu o curso de Graduação em Ciências Contábeis em 1995 e o escritório prosperava a cada dia. Mas o sonho maior de ser Auditora Independente ainda não estava concretizado. Na época, era difícil fazer a pós-
graduação, uma vez que ainda não tinha o curso em Sergipe. Sem contar que Salete tinha filhos pequenos e não podia viajar.

Para a alegria dela, em 1999 abriu a inscrição e seleção para a primeira turma do curso de pós-graduação em Auditoria da Universidade Federal de Sergipe (UFS). O currículo dela foi selecionado e, em 2001, Salete concluiu o curso. Neste período participou de vários congressos, cursos, convenções e passou a se destacar na profissão que escolheu. Por isso, começou a fazer auditorias, em parceria com a MPK Lacel, e, no ano de 2002, constituiu a própria empresa de auditoria, juntamente com os contadores José Francisco Correia Lima e Roseane Tavares Oliveira, a AUDICON- Auditoria, Consultoria, Perícia e Assessoria Contábil Ltda.

Sempre com o anseio de se capacitar cada vez mais, em 2004, Salete fez outra especialização, desta vez em Gestão da Empresa Contábil Moderna. O curso foi via Internet, pelo Instituto de Estudos Avançados (IPEA). Teve como seus clientes a Fundação Augusto Franco, a OAB/SE, a Fundação São Lucas, Sociedade Semear, entre outros. Em 2003 ingressou no Sescon/SE hoje Sescap/SE, graças ao colega Wladimir Alves Torres Presidente da época . Primeiramente assumiu o cargo de Diretora de Legislação e, atualmente, está como diretora de Eventos.

Maria Salete não para. Ministrou vários cursos de Auditoria, inclusive na Petrobras, onde falou sobre Auditoria de Qualidade. Além de cursos de Legislação Trabalhista na Faculdade Silvio Romero e no Sindicont/SE e ministrou várias palestras.

Em 2006, Salete foi convidada pelo Presidente do CRC/SE, Romualdo Batista de Melo, para Coordenar o Projeto Mulher Contabilista, o qual ela permanece até os dias atuais. Ainda no CRC, em 2008, Salete assumiu a Coordenação do Programa do Voluntariado da Classe Contábil (PVCC). A permanência no cargo se estendeu até janeiro de 2012.

Em 2007 foi indicada para membro da Academia Sergipana de Ciências Contábeis (ASCC) pelo ilustre Acadêmico Romualdo Batista de Melo, onde tomou posse no dia 4 de dezembro de 2007 e passou a ocupar a Cátedra numero 23, tendo como patrono Hilário Franco. Na ASCC, durante a gestão do ilustre Acadêmico Jodoval Luiz dos Santos (2008/2011) participou da diretoria como tesoureira e, na gestão do Acadêmico Minervino Dória Almeida (2012/2013) assumiu o cargo de diretora Bibliotecária.

Em 2009, através de seleção de currículo, foi nomeada Diretora Fiscal da Agência Nacional de Saúde (ANS). No mesmo ano participou da Chapa 1 para Conselheira no Conselho Regional de Contabilidade de Sergipe, onde tomou posse em 2010 participando do Conselho Diretor como Vice-Presidente Administrativa, durante a gestão do Presidente Aécio Prado Dantas Júnior (2010/2013). Atualmente, em 2014, na gestão da presidente Ângela Andrade Dantas Mendonça, Maria Salete está como Coordenadora do Projeto Mulher Contabilista e na Coordenação do Programa do Voluntariado da Classe Contábil (PVCC). Além disso, desde 2012 Salete é Perita Judicial e Extra-Judicial, associada da APEJESE - Associação de Peritos Judiciais do Estado de Sergipe, com o cargo de Tesoureira na atual gestão do Presidente José Valter de Sá Santos.

A AUDICON já recebeu por sete edições consecutivas o Prêmio Vip de Educação Superior – Personalidades e Empresas mais Lembradas de Sergipe.

Maria Salete Barreto Leite também associada do Lions Clube Aracaju Salgado Filho desde 1996. Foi presidente do clube durante três gestões 2001/2002, 2002/2003 e 2012/3013; e presidente de Divisão do Distrito LA3 por três gestões 2003/2004, 2009/2010 e 2011/2012. Participou do Encontro de Casais com Cristo (ECC) da Igreja São José durante 20 anos e coordenou diversos encontros.

Salete é casada com o José Fernando Leite desde 1978, com o qual tem três filhos: Fernanda Isabelitta, Diego Emmanuel e Leda Helena; e três netos: Felipe Eduardo, Davi Eduardo e Adele, os quais ela considera razões da vida dela.

MARIA SALETE BARRETO LEITE foi indicada e eleita presidente da Academia Sergipana de Ciências Contábeis (ASCC) para o biênio 2014/2015 em 13 de novembro 2013 e está Presidente desde janeiro de 2014. Onde, juntamente com os Acadêmicos, as Academias de Sergipe e Abracicon pretendem executar vários trabalhos literários pela Ciência da Contabilidade.

“Não faremos tudo que quisermos, mas faremos tudo que Deus nos permitir fazer com amor e dedicação”, declara Salete.

Minervino Dória Almeida

Presidente da Academia de 01-01-2012 até 13-11-2013

Minervino Dória Almeida

MINERVINO DÓRIA ALMEIDA nasceu no dia 23 de Julho de 1949, é natural de Propriá. Seus primeiros estudos foi em Gararu e em finais de semana e nas férias escolares acompanhava seu pai nas atividades da propriedade, no pastoreio dos animais, na colocação de água para o consumo doméstico, nas pescarias, nas madrugadas ajudando a ordenha do leite, nos banhos de lagoa e do velho Chico e nas parelhas de cavalo. Assim foi sua infância.
Aos 11 anos em Propriá, Minervino é aprovado no exame de admissão do Ginásio Diocesano daquela cidade, 1960, iniciando neste período uma nova fase de sua vida. Aos 15 anos, Minervino ingressa na área de vendas, trabalhando como balconista da loja Aragão, seu primeiro emprego, em Propriá. Aos 18 anos concluiu o seu curso Técnico em Contabilidade e constitui com mais dois sócios um escritório de contabilidade e gerencia uma empresa de distribuição de cerveja, Marca Brahma, em Propriá, chamada Distribuidora Silvestre Ltda.
Em 1971, transfere-se para Aracaju, indo trabalhar em um órgão público chamado PIPMO (Programa Intensivo de Preparação de Mão de Obra) como Supervisor Contábil e Orçamentário.
Ingressou nas Faculdades Integradas Tiradentes, em 1972, primeira turma. Trabalhou participando de diversos treinamentos intensivos destacando-se profissionalmente, tornando-se professor do Colégio Pio Décimo e Faculdades Integradas Tiradentes.
Ao mesmo tempo, Minervino em 1975, é promovido como assessor e coordenador substituto do órgão PIPMO, obtendo mais contatos com órgãos conveniados, como o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC), a Escola Agrícola Benjamim Constante, Serviço Nacional da Indústria (SENAI) e demais órgãos e empresas privadas.
Em 1979, assumi o cargo de gerente da UNIBRÁS, uma empresa de confecções, de iniciativa privada e no final dos anos 80, mais adiante, ele também se exonera do cargo, passando a trabalhar com vendas durante 13 meses. Depois é convida para trabalhar na “Fiação e Tecelagem Nortista S.A”. Foi tudo extremamente enriquecedor para sua carreira profissional. Também foi contador da Sergipe Industrial S.A.,
Em 1993 decidiu deixar a Nortista, trabalhando logo em seguida como contador da Sergipe Industrial. Nesta empresa, também pertencente ao Grupo Franco, Minervino trabalha por pouco tempo, porque uma nova e excelente oportunidade surge advinda de uma empresa de grande porte de supermercados, o grupo G Barbosa através de Carlos Alberto Vasconcelos seu amigo do ECC (Encontro de Casais com Cristo), que o chama para trabalhar no G Barbosa permanecendo nessa empresa por 15 anos. Lá ele tem um grande aprendizado e acompanha quase toda sua trajetória, mudanças e evoluções. Minervino também adquiriu experiência com Gentil Barbosa de Jesus, o proprietário da empresa na época, considerado um excelente administrador, natural de Itabaiana. Aos poucos Minervino vai conquistando a sua confiança, sendo nomeado assessor da presidência. Neste período também exerce seu magistério por quatro anos lecionando na Universidade Federal de Sergipe, no Departamento de Ciências Contábeis, onde ministra diversas disciplinas da área de contabilidade, inclusive implanta e atualiza algumas grades curriculares, como ‘Contabilidade de Serviço’, ‘Contabilidade Rural’, entre outras.
No dia 02 de janeiro de 2002, a “Ahold”, empresa holandesa assume o G Barbosa e Minervino continua sendo assessor da presidência, assessorando o novo presidente, um ex-representante do Grupo Bompreço, Marcelo Silva, permanecendo por pouco tempo. Em seguida, Minervino assessora a nova presidência assumida pelo holandês Gerard Scheij, o qual Minervino possui dificuldade de se adaptar devido às dificuldades em compreender sua língua, permanecendo até 2005 como seu assessor. No mesmo ano, é criada uma Assessoria de Assuntos Corporativos e de Recursos Humanos, sendo sua última etapa, como assessor da Empresa G. Barbosa, sendo ele o inspirador e fundador do Instituto G Barbosa, homenagem justa ao pioneiro da empresa chamado Gentil Barbosa. Minervino permanece na Empresa G. Barbosa até setembro de 2007, assumindo no dia Primeiro de Outubro deste mesmo ano, a direção regional do SENAC, onde atua como gestor do órgão até dezembro de 2008. Minervino recebe o convite do presidente do Sistema Fecomércio Sesc/Senac, já o conhecia pela sua determinação e competência para o cargo, por ser Diretor da Federação do Comércio. Minervino opta em trabalhar pela Direção Regional do SENAC por representar uma casa de ensino, de formação profissional, e onde já tinha sido conselheiro, período de 1975 a 1979, tornando-se um viés na vida profissional de Minervino..
No período de 1992 a 2002, Minervino participou de clube de Lions Club Aracaju Salgado filho, sendo seu presidente em 1993.
De 1982 até hoje, ele participa como Maçom ativo da Loja Maçônica Clodomir Silva, em Aracaju, Sergipe, sendo seu Venerável Mestre no período de junho de 200l a junho 2003.
Atualmente, Desde o ano de 1997, Minervino participa da Academia Maçônica de Artes, Ciências e Letras de Sergipe, sendo imortal na Cadeira nº 09, participando também da Academia de Ciências Contábeis de Sergipe desde 2007, imortal na Cadeira nº 38, é o Atual Presidente até dezembro de 2013.
É casada com a Sra. Maria Luiza Santiago Almeida, com a qual tem 04 filhos.
Minervino em 1988 até os dias atuais vem participando com sua esposa, do ECC - Encontro de Casais com Cristo, onde se iniciou nesta atividade Leiga da Igreja Católica, Paróquia Nossa Senhora da Conceição de Aracaju, Sergipe, tendo a oportunidade de coordenar um dos diversos encontros em 1993.
Minervino também vem se dedicando à produção do seu livro “A Ética da Família Dória, sobre a perspectiva de Minervino Dória”, uma biografia que narra toda história da sua família e de vida, sendo 62 anos de coragem, determinação no ramo profissional e nostalgia de uma infância vivida com amor, simplicidade e harmonia em Ilha do Ouro, Porto da Folha, passando por Propriá e permanecendo na capital até hoje, recebendo em maio deste ano, o prêmio de Personalidade Sergipana Destaque em Educação Superior, eleito pela comissão organizadora composta por Mestres e Doutores das diversas Instituições de ensino Superior do Estado de Sergipe, uma iniciativa da Revista Educação Superior Nordeste.
Minervino Dória Almeida é respeitado pela competência em assumir a direção, como sócio da Indústria de Vassouras Mil Limpo Ltda., possui paixão pela Ciência da contabilidade e amor pela família que o acolhe com ternura.

Jodoval Luiz dos Santos

Presidente da Academia de 08-01-2008 até 01-01-2012

Jodoval Luiz dos Santos

Vida e Obra *

Em Setembro de 1969 o então técnico em contabilidade Jodoval Luiz dos Santos com sua irmã Gilzete dos Santos fundaram a Sergeco Serviços Gerais de Contabilidade Ltda hoje Sergeco Assistência Contábil S/S. Site: www.sergeco.com.br

Iniciou no magistério no 2º semestre de 1969, no Colégio Pio-Décimo. Foi professor também no Colégio Costa e Silva, na UNIT e na Faculdade São Luís até que se afastou das salas de aulas por motivo de saúde (diabetes).

Em Fevereiro de 1977 concluiu o curso em Ciências Contábeis pela Faculdade Tiradentes e em Novembro de 2001 concluiu a Pós-Graduação Lato Senso em Auditoria Contábil Fiscal pela UFS.

Foi presidente do CRC/SE no período de 1982 a 1985, quando foi realizada, em cada ano, a EXPOSE, evento importante na época, com a ajuda da Faculdade Tiradentes.

Empreendeu um movimento para melhorar a grade curricular do curso técnico em contabilidade, que logrou êxito com o parecer favorável da Conselheira Ivone Mendonça do Conselho Estadual de Educação. Criou o diploma de mérito estudantil Prof. Carlos Alberto de Barros Sampaio e a medalha de mérito profissional Prof. Wilson Barbosa de Melo, cuja 1ª edição contemplou o Acadêmico Prof. José Amado Nascimento. Foi Conselheiro do CRC/SE no período 1994 a 1997 e, no período de janeiro de 2006 a dezembro de 2009, Vice Presidente de Registro. Com a participação de outros colegas, dos quais a Contadora Ana Lúcia Sales, fundou o Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis, hoje SESCAP/SE tendo sido o seu 1º presidente.

Por sugestões do Conselho Federal de Contabilidade, com a participação especial do Prof. Dr. Alberto Fraqueira Cabral e do Prof. Dr. Washington Maia Fernandes, fundou em Sergipe a APEJESE - Associação de Peritos Judiciais do Estado de Sergipe, da qual foi presidente nos períodos de 1999 a 2001 e 2004 a 2006.

Foi auditor nas firmas A. Campos e Cia S/C Auditores Independentes. Após o falecimento do Prof. Antônio Fernando Campos fundou com o Prof. Alonso José dos Santos e a contadora Márcia Karina da Silva Santos (sua filha), a ACCOUNT Auditores Independentes S/S. Site: www.accountauditores.com.br

Em 2005 foi eleito presidente da 3º Região da Academia Nacional da Economia (A N E) que compreende os estados de Sergipe, Alagoas, Pernambuco e Paraíba. Site: www.academia-ane.org

Em 2002, por solicitação dos Acadêmicos Antônio Fernando Campos, Alonso José dos Santos e José Amando Nascimento, como secretário ad hoc , iniciou a peleja para o soerguimento da Academia Sergipana de Ciências Contábeis, que há mais de 20 anos estava desativada. Com o falecimento do Prof. Antônio Fernando Campos, o projeto permaneceu engavetado até que, em 2007, o Acadêmico Romualdo Batista Melo, presidente do CRC/SE assumiu o movimento e foram eleitos 16 novos Acadêmicos.

Dos 19 Acadêmicos fundadores 10 já faleceram, 5 renunciaram e apenas 4 estão ativos.

Jodoval Luiz dos Santos foi indicado e está presidente desde janeiro de 2008. Nesta gestão cuidou-se de: atualizar o Estatuto Social, o Regimento Interno, fazer site e admissão de novos Acadêmicos para preenchimento das 20 cátedras vagas.

Em 1994 foi admitido na Academia Nacional de Economia A N E como titular imortal na cátedra 166 que tem como Patrono o inventor americano Samuel Morse.



* Contadora Márcia Karina da Silva Santos

José Amado Nascimento

Presidente da Academia de 15-01-1987 até 07-01-2008

José Amado Nascimento

Cada Acadêmico Titular deverá escrever um resumo de no máximo 20 linhas e mínimo de 15 sobre o patrono da Cátedra.

Antônio Fernando Campos

Presidente da Academia de 01-12-1984 até 14-01-1987

Antônio Fernando Campos

Cada Acadêmico Titular deverá escrever um resumo de no máximo 20 linhas e mínimo de 15 sobre o patrono da Cátedra.

Mário Lins de Carvalho Filho

Presidente da Academia de 04-04-1982 até 30-11-1984

Mário Lins de Carvalho Filho

Cada Acadêmico Titular deverá escrever um resumo de no máximo 20 linhas e mínimo de 15 sobre o patrono da Cátedra.

Romualdo Batista de Melo

Presidente da Academia de 23-08-1980 até 03-04-1982

Romualdo Batista de Melo

Cada Acadêmico Titular deverá escrever um resumo de no máximo 20 linhas e mínimo de 15 sobre o patrono da Cátedra.

José Amado Nascimento

Presidente da Academia de 08-11-1977 até 22-08-1980

José Amado Nascimento

Cada Acadêmico Titular deverá escrever um resumo de no máximo 20 linhas e mínimo de 15 sobre o patrono da Cátedra.

Feito por: Jodoval Junior JodovalJunior@hotmail.com